Rádio Louvação

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

SE NÃO FOSSE O SENHOR!

O salmo 124 diz: “Se não fora o Senhor, que esteve ao nosso lado, ora, Israel que o diga: Se não fora o Senhor, que esteve ao nosso lado, quando nossos inimigos se levantaram contra nós, eles, então, nos teriam engolido vivos, quando a sua ira se acendeu contra nós; então, as águas teriam transbordado sobre nós, e a corrente teria passado sobre a nossa alma; então, as águas teriam passado sobre a nossa alma. Bendito seja o Senhor, que não nos deu por presa aos seus dentes. A nossa alma escapou, como um pássaro do laço do passarinheiro; o laço quebrou-se, e nós escapamos. O nosso socorro está em o nome do Senhor, que fez o céu e a terra”.

Davi olha para traz, para a história de seu povo e para sua vida, e reconhece que se o Senhor não estivesse ao seu lado durante a caminhada certamente teriam sido destruídos.

Como Davi também possuímos inimigos, também travamos batalhas, não contra outros povos mas contra inimigos invisíveis, forças espirituais do mau que agem neste mundo e que se levantam contra nós e nossas famílias.

Pessoalmente, assim como Davi, também olho para minha caminhada até aqui e reconheço, com gratidão e alegria, que se o Senhor não estivesse ao meu lado certamente a minha história seria bem diferente, certamente estaria derrotada, derrotada espiritualmente, derrotada emocionalmente, derrotada psicologicamente e quem sabe até, derrotada fisicamente.

Durante nossa vida, nossos inimigos se levantam contra nós furiosos, sua ira se acende contra nós para nos engolir vivos más se o Senhor estiver ao nosso lado, se trilharmos o caminho do Senhor, Ele nos livra da fúria dos nossos inimigos e das armadilhas que eles nos preparam, o Senhor nos salva, Ele nos guarda, Ele nos protege e nos faz andar em liberdade.

Somente ao lado do Senhor podemos viver a vida sem sermos presas para os nossos inimigos e sem sermos engolidos pelo mar das dificuldades deste mundo. Somente ao lado do Senhor.

Dinheiro não pode fazer isso por você, poder não pode fazer isso por você, fama ou status não podem fazer isso por você, você próprio não pode fazer isso, somente o Senhor, somente o Senhor a seu, somente ao lado do Senhor.

Ana Cléa

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

PALAVRA AO GRUPO DE LOUVOR


Durante um culto em que participei nesta semana em que estou viajando, o pastor cantou uma música cuja letra dizia assim: “um lindo coral de anjos veio acompanhando nosso Senhor...”. Naquele momento algo falou bem forte ao meu coração. Participo do grupo de louvor na minha igreja e por isso fiquei imaginando o Senhor Jesus entrando naquele lugar para receber o culto do seu povo, acompanhado por um coral de anjos.

Imaginei o nosso grupo de louvor ali cantando ao Senhor e a pergunta que não pode deixar de falar ao meu coração foi: “o que é o nosso grupo de louvor diante do que O acompanha e o louva de dia e de noite?”. A resposta a mim mesma foi: “nada!”

Imaginei o ministério de louvor mais bonito e completo, na minha opinião, diante do Senhor e a resposta continuou a mesma, nada, diante do perfeito coral que ministra a Ele.

Na nossa humanidade muitas vezes achamos que somos bons e nos ensoberbecemos por algumas coisas, mas isso é um engano! O diabo quer nos enganar o tempo todo, nosso ego nos quer enganar más devemos lutar para que isso não aconteça! Quanto mais nossos olhos se abrirem para quem é o nosso Deus e para quem nós somos diante dEle, menos risco corremos de sermos enganados pela vaidade e pelo orgulho.

Todas as vezes que nós, pessoas que servem no grupo de louvor da igreja, nos colocarmos para ministrarmos ao Senhor e a sua igreja lembremos:”Não é a nossa aparência bonita ou a quantidade e valor dos nossos equipamentos que impressionarão ao nosso Deus. Não é a nossa técnica instrumental ou vocal que vão tocar o Seu coração pois tudo isso Ele possui em perfeição e o melhor que possamos fazer não é nada diante do que Ele tem”!

O maior tesouro que o Senhor pode encontrar em nós e o que de valor podemos oferecer a Ele, é um coração cheio de amor, temor e reverência.

Estas palavras não são para desanimar más sim para incentivo. Incentivo no sentido de darmos importância ao que verdadeiramente tem valor diante do nosso Deus. Precisamos sim nos preparar tecnicamente para fazer o melhor para Deus e para a sua igreja, mas sempre conscientes de que nada disso terá nenhum valor se o Senhor não encontrar em nós um coração sedento em demonstrar a Ele gratidão e amor.

Isso vale não apenas para o grupo de louvor más se aplica também a todo o servo de Deus. Davi, consciente desta verdade pergunta a si mesmo no salmo 116.12: “Que darei ao Senhor por todos os seus benefícios para comigo?

Nada podemos dar ou fazer que possa retribuir ou pagar o que o nosso Deus fez, tem feito e ainda fará por nós. Nenhuma das nossas capacidades ou competências humanas podem impressioná-lO.

O que podemos oferecer a Ele então?

Podemos e devemos oferecer ao Senhor, em primeiro lugar e antes de tudo, amor, reverência, gratidão, reconhecimento, submissão a Ele e aos nossos líderes e um coração com as motivações guiadas por sua Palavra.

Se o Senhor olhar para você e encontrar amor, todo o seu serviço terá valor, do contrário, tudo será vão.

Ana Cléa

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

MEU DEUS CUIDA DE MIM

Hoje, dia 11 de novembro, meu filho mais novo completa 1 ano de idade.

O sentimento que veio ao meu coração neste dia foi de louvor a Deus. Um sentimento de reconhecimento de que Ele é quem me capacitou.

Logo após ter tido o meu filho, fui tomada por muitas sensações ruins. Sensação de que eu não iria conseguir dar conta de 3 filhos, sensação de que agora eu estava presa, sensação de irritação e outros sentimentos parecidos. Muitas vezes tive crises de choro e orava ao Senhor.

Pode parecer estranho, mas hoje somos muito frágeis. Desde pequenos acostumamos ter tudo fácil e os pais sempre a fazerem as coisas por nós, por isso algo como 3 filhos pequenos pode parecer um gigante para algumas pessoas.

Dois meses após o nascimento do João, o Senhor preparou um período de mais ou menos um mês, no qual viajei e o Senhor trabalhou em meu coração, me capacitou, me levantou, me alegrou. Deste período em diante o acréscimo de mais um filho foi algo normal em meu dia a dia e agora estou aqui, um ano depois me alegrando com meu filhotinho lindo e louvando a Deus, reconhecendo que a Ele eu devo a vitória.

O nosso Deus é tudo para nós. Somos d’Ele. E como disse o rei Davi, um homem riquíssimo, importante, poderoso no salmo 40.17: “Eu sou pobre e necessitado, porém o Senhor cuida de mim”. O Senhor cuida de mim, eu posso declarar isso com segurança. Ele cuida de mim em todos os aspectos da minha vida, por isso neste dia, toda a honra e glória a meu Poderoso e Amoroso Deus que cuida de mim, através de Cristo meu Salvador.

Quando alguma sensação estranha bater em seu coração lembre-se, o Senhor cuida de você, lance-se a seus pés e Ele o sustentará.

ALELUIA

Ana Cléa

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

PERSEVERAR ATÉ O FIM

Muitas vezes somos tentados a desanimar diante de situações difíceis, que se arrastam e demoram em serem resolvidas. Somos tentados a desistir diante da vitória que demora em chegar.
Jesus, sabendo que isso aconteceria conosco, disse que deveríamos orar sempre e não esmorecer, não desanimar, não desistir no meio do caminho.
O Senhor confirmou esta verdade ao meu coração de duas maneiras nesta semana.
A primeira foi através de uma vida. Uma pessoa querida pela qual minha família e muitos irmãos estiveram orando durante alguns anos. Lutamos, nos animamos e quando parecia que esta pessoa iria se firmar nos caminhos do Senhor, quando parecia que a vitória havia chegado, as coisas começaram a retroceder. Confesso que nunca parei de orar por ela, mas em muitos momentos, depois de haver feito tudo que eu achava possível, pensei que não adiantava. Hoje, vejo esta pessoa novamente sendo levantada pelo Senhor e trilhando seus caminhos, sendo firmada por Ele. Vendo isso entendi: "não devemos desistir nunca!"
A segunda maneira foi através de um livro que estou lendo que se chama O Poder Secreto da Oração e do Jejum. Neste livro o autor fala a respeito de uma experiência que teve durante uma campanha missionária de sete dias. Durante estes sete dias, ele convidava as pessoas a frente para orar. A cada noite, uma velhinha cega vinha a frente guiada por sua neta. Durante a oração ela caía ao chão e o autor podia sentir que o Espírito Santo estava agindo em sua vida, mas quando ela se levantava dizia: "Não vejo nada". Durante as seis noites se repetiu o mesmo. Na sétima a velhinha veio a frente, caiu ao chão durante a oração e quando se levantou disse: "Vejo tudo perfeitamente". O autor se maravilhou mas em seu coração pensou: "O Senhor podia tê-la curado na primeira noite, porque não o fez?" Um ano depois o Espírito Santo trouxe aquele momento em sua memória e mostrou a ele que envolto na velhinha havia uma criatura negra parecida com um polvo. A cada reunião, quando a mulher ia a frente e recebia a oração, um tentáculo do demônio ia sendo derrubado. Na sétima noite o último tentáculo foi derrubado e ela foi liberta, curada por completo.
Lendo isso entendi: "não devemos desistir nunca!"
Creio que esta situação foi uma lição não só para o autor mas para mim também. Muitas vezes oramos para que pessoas sejam libertas, buscamos vitórias em muitos aspectos mas desanimamos, diante da demora ou quando as coisas parecem não acontecer.
Quando oramos alguma coisa sempre acontece. Devemos continuar orando até que o último "tentáculo" caia e sejamos vitoriosos.
Como Jesus nos instruiu, vamos continuar orando sem esmorecer diante das demoras, sem esmorecer diante das pioras, sem esmorecer diante da batalha, e então, em nome de Jesus, seremos vitoriosos.
Ana Cléa

domingo, 3 de outubro de 2010

SÓ É POSSÍVEL COM JESUS

"Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto. Nenhum ramo pode dar fruto se não permanecer na videira. Vocês também não podem dar frutos se não permanecerem em mim. Sem mim, vocês não podem fazer nada" (João 15.4-5).
Um galho ou ramo só cresce, só se desenvolve e frutifica se estiver ligado a árvore, do contrário ele logo murcha e morre.
Jesus diz para cada um de nós que somos como um galho; só crescemos, só nos desenvolvemos, só produzimos frutos se estivermos ligados a Ele, juntinho d'Ele, a seus pés.
Todos nós, como crentes, queremos produzir os frutos que o Senhor espera de nós. Queremos perdoar quando alguém nos ofende; queremos reconhecer nosso erro e pedir perdão quando necessário; queremos ser misericordiosos diante da falha do próximo; queremos confiar no Senhor diante do impossível; queremos ter domínio próprio diante das situações irritantes; queremos não cair nas tentações, queremos vencer o pecado; queremos resistir ao inimigo até que ele fuja de nós; queremos ser testemunhas atuantes de Cristo mas, só conseguiremos produzir tais frutos, se estivermos ligados a Jesus.
Somente nosso conhecimento da Palavra de Deus; somente a nossa vontade de praticá-la não é o suficiente. É o Senhor em nós e nós n'Ele que fará com que estes frutos apareçam. Temos que estar ligados a Jesus que é a videira, a fonte. Precisamos estar perto d'Ele e fazemos isso através da oração, através da sua Palavra, através do amor que sentimos por Ele. Quanto mais O amarmos mais faremos de tudo para estar perto d'Ele, perto de tudo o que se refere a Ele e então tudo acontece. Que o meu amor por Ti aumente a cada dia Jesus; que a cada dia eu queira, mais e mais, estar a seu lado.
Ana Cléa

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

SEM JESUS NADA PODEMOS FAZER

Jesus disse: "Sem mim nada podeis fazer."
Tenho aprendido isso na prática, em meu dia a dia.
Sei que conheço a instrução do Senhor para todas as situações, sei que quero de todo o coração aplicá-las na hora da necessidade, muitas vezes penso que quando for necessário estarei apta a praticar, mas tenho visto que apenas pelo meu conhecimento, pelo meu entendimento e pela minha vontade não consigo. Meu coração deseja ardentemente por em prática o que já aprendeu, mas sozinha agora vejo que não vou conseguir, acabarei frustrada, decepcionada comigo mesma.
Estou aprendendo e reconhecendo esta verdade em minha vida e agora busco me unir, cada dia mais a Jesus. Busco estar a seus pés, ter comunhão com Ele, estar ligada a Ele, sabendo que assim Ele me capacitará e me ajudará nos momentos necessários a viver de acordo com seus ensinamentos. Tenho percebido claramente em minha vida o conduzir e o ajudar do Senhor. Diante de tudo isso senti um temor! Jesus, eu preciso de Ti até para me arrepender! Jesus, eu preciso de Ti até para reconhecer quando estou errada! Jesus, eu preciso de Ti para pedir perdão! Jesus, eu preciso de Ti para perdoar! Jesus, eu preciso de Ti para tudo mesmo! Tenho reconhecido a total dependência do Senhor. Isso não é legal para o nosso eu que as vezes quer achar que consegue fazer as coisas, que já está capacitado e preparado, mas para nossa vida espiritual é tremendo pois sabemos que o único caminho para vivermos a Palavra do nosso Deus é estarmos aos pés do Senhor Jesus.
O apóstolo Paulo na carta que escreveu aos Efésios disse que todos deveriam se fortalecer no Senhor. Este é o segredo, devemos nos fortalecer no Senhor, nos unir ao Senhor, devemos buscar a comunhão com Ele em primeiro lugar e então Ele, Ele nos fortalecerá e nos ajudará a andarmos conforme sua vontade em todo o tempo. Nos fortalecemos no Senhor orando, buscando sua Palavra, louvando-O, adorando-O, rendendo-lhe graças.
Não devemos nos enganar. Em tudo, e para tudo, precisamos dEle.
Em tua presença Jesus, é que sou fortalecida.
Ana Cléa

terça-feira, 21 de setembro de 2010

AMARRAR O VALENTE

Mateus 12.23: “Como pode alguém entrar na casa do Valente e roubar-lhe os bens sem primeiro amarrá-lo? E, então, lhe saqueará a casa.”
Jesus nos ensina que antes de passarmos para a luta, para a conquista propriamente dita, precisamos amarrar o inimigo, então, poderemos avançar em seu território e roubar-lhe os bens (vidas que ele tem escravizado, anular seus projetos e intentos do mau).
Antes de Jesus partir para a luta, para a obra que veio realizar, antes de curar, libertar e salvar uma multidão de pessoas das garras do Valente, Ele passou 40 dias orando e jejuando até amarrar o inimigo, só então partiu para realizar sua obra.
Creio que o exemplo de Jesus e sua instrução não devem ficar esquecidos por nós. Devemos seguir o exemplo do Mestre. Devemos, antes de qualquer projeto, antes de enfrentarmos diretamente o inimigo para arrancar vidas de suas garras, primeiro nos colocarmos na Presença de Deus e como fez Jesus, orar e jejuar, lutar nos lugares celestiais, e depois de termos amarrado (enfraquecido, neutralizado) o Valente, depois de estarmos fortalecidos pelo Senhor, então, passar a luta propriamente dita, ou seja, saquear o território do inimigo.
Nós batalhamos nos lugares celestiais. Nós lutamos, principalmente, através da oração. Nós vencemos as batalhas, principalmente, através da oração. Sem oração, sem batalharmos nos lugares celestiais, entrando na casa do Valente sem amarrá-lo, dificilmente teremos êxito.
Sigamos o exemplo do Mestre.
Ana Cléa

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

PRIVILÉGIO

Hoje, durante o jantar, comecei a pensar: "nossa, muitas pessoas tiveram o privilégio de receber Jesus em suas casas e preparar para Ele um jantar, almoço ou lanche muito especiais!" Pensei também em como eu capricharia e faria o melhor se soubesse que Jesus viria fazer uma refeição em minha casa. De repente, durante este pensamento, o Espírito Santo falou ao meu coração: "Hoje você não tem a oportunidade de receber Jesus em sua casa para oferecer-lhe hospedagem ou uma refeição, mas você tem, hoje, a oportunidade de receber aqueles que vem, em nome do Senhor."
Como o meu coração se alegrou em ver que todas as vezes que recebo em meu lar os servos do Senhor, pastores e suas famílias, irmãos que estão indo fazendo a obra do Senhor, estou recebendo o meu próprio Jesus. Tudo o que eu faço para agradar estes servos do Senhor, tudo que eu faço com amor e com carinho para serví-los, é como se eu estivesse fazendo para o meu próprio Mestre.
Que legal foi receber esta palavra do Espírito Santo. Amém Senhor, vou receber meus queridos com ainda mais amor e carinho.
Ana Cléa

terça-feira, 3 de agosto de 2010

A FACE DO MAU

Escrevo esta mensagem com base em um sonho que minha irmã Sara teve e que creio ser um alerta de Deus a nós, seu povo.
Em seu sonho, Sara devia ir para a casa de seu pai. No entanto, deparou-se com um homem lindo, extremamente belo, belo como nenhum visto antes. Ele estava preso como que em uma gaiola de tela.
Sara então começou a conversar com ele, impressionada com tamanha beleza, pois no sonho era como se o conhecesse. Quando então resolveu sair e ir para a casa do pai, o que era seu objetivo, este belo homem disse-lhe: “Há, não vá! Vem aqui primeiro e me dê um beijo, só um beijo”! Sara hesitou e ele continuou: “Vem aqui vem, é só um beijinho”! Sara então não resistiu e foi a seu encontro para dar-lhe somente um beijo de despedida. Ao fazer isso ela ficou tão envolvida que pensou: “nada mais importa, não me importo com mais nada, pois este momento é maravilhoso”!
Após isso Sara já se viu perdida, distante da casa do pai, a vagar por um lugar horrível, sujo, de extrema pobreza, deprimente. Quanto mais andava por ali mais Se desesperava e mais se afastava da casa do pai para onde deveria ter ido. De repente, encontrou algumas pessoas e perguntou como faria para voltar para a casa do pai, ao que estas pessoas responderam: “Como você veio parar tão longe! Vamos lhe instruir, mas não sabemos se você conseguirá voltar”! Sara então vagou muito e ao longe enxergou seu pai, em cima de uma pequenina ponte a lhe esperar. Quando abraçou seu pai e ele lhe perguntou por que tinha ido aquele lugar que não conhecia, Sara sentiu que foi salva e viu a besteira que havia feito e então foi em paz para a casa do pai.
Compartilho esta experiência, pois creio que não é apenas um sonho e sim uma exortação da parte do Senhor para nós, seu povo, já que somos um corpo e o Senhor usa muitas vezes um para falar a todos.
Primeira lição: a primeira lição clara aqui é que o inimigo de nossas almas não nos aparece com um enorme rabo e com chifres, ele nos aparece lindo, maravilhoso, sedutor, envolvente, pois somente assim pode nos atrair.
Segunda lição: ele está preso, não tem acesso livre ou poder sobre nós. O que ele pode fazer é nos atrair com seus “encantos”, nós é que vamos até ele e lhe damos legalidade para agir em nossas vidas. Se não formos até ele, atraídos por suas tentações, ele não pode vir até nós, pois está preso, amarrado, proibido pelo Senhor de nos tocar (aquele que é nascido de Deus, Deus o guarda e o maligno não lhe toca – I Jo.5.18).
Terceira lição: como o maligno não pode nos tocar, ele usará de todas as suas artimanhas para nos seduzir. Fará isso usando nossa carne, nossos desejos, nossas vontades, nossos sonhos, nossos sentimentos, por isso devemos ficar alertas, vigilantes, como Jesus nos instruiu, para podermos perceber suas artimanhas e não sermos atraídos por elas. Se isso acontecer, se dermos ouvidos ao inimigo, se sucumbirmos a sua sedução, o Senhor nos faz um alerta, nos afastaremos Dele, passaremos a andar por lugares escuros, lugares de trevas espirituais, de onde talvez não consigamos voltar e se voltarmos, teremos um caminho não muito fácil a vencer para voltar para os braços do Pai, de onde nunca deveremos sair.
Senhor ajuda-nos a ficarmos firmes e não sermos atraídos pela face do mau. Amém!
Ana Cléa

quinta-feira, 25 de março de 2010

Um só corpo

Romanos 12.5: assim também nós, conquanto muitos, somos um só corpo em Cristo e membros uns dos outros....

Jesus nos ensina que como crentes, pertencemos a um único corpo, o corpo de Cristo. Infelizmente, muitas vezes sem perceber, por existirem muitas denominações, acabamos procedendo de forma diferente. Muitas vezes pregamos o evangelho para que as pessoas venham para nossas igrejas e ela fique cheia, oramos para que a nossa denominação seja abençoada e bem vista não nos importando se as demais estão sendo motivo de escândalo. Criticamos as outras denominações com dureza, quando cometem algum erro, como se não estivéssemos nada a ver com a situação. Esquecemos que somos todos "um só povo". Esquecemos que quando um é honrado, todos são, mas quando uns escandalizam, da mesma forma todos são colocados no mesmo patamar.
Quando meu pai sofreu o acidente de carro e ficou muito doente, aprendi na prática o que diz a passagem bíblica acima.
Não vou especificar cada situação para não me prolongar, mas o Senhor, mesmo antes de tudo acontecer, mostrou em visão o acidente e levantou irmãos para intercederem pela vida do meu pai, irmãos estes, que oraram o tempo todo até meu pai ser reestabelecido.
Deus usou irmãos de várias denominações. Irmãos mais maduros, mais velhos na fé, mais novos na fé, irmãos mais chegados e outros nem tanto.
Naquele momento não houve separação; naquele momento todos foram extremamente importantes e suporte para nossa família. Como foi encorajador e consolador saber do amor e das orações de todos estes irmãos! Sou grata a cada um e oro agradecendo a Deus pela vida de cada um.
Com tudo isso aprendi que o Senhor levantou irmãos de muitas denominações para me ensinar de maneira prática que para Ele nós somos como um só. Deus não nos vê separados, Deus não nos vê como vários corpos de Cristo, nós é que agimos assim muitas vezes, mas para o Senhor somos apenas um povo que precisa uns dos outros.
Após esta experiência posso declarar com alegria que amo e que preciso de todos os meus irmãos, estejam eles na denominação em que estiverem. Também posso agradecer a Deus por saber que posso contar com todos quando precisar.
Somos um só povo, fazemos parte do mesmo time, fazemos parte do mesmo exército. Temos apenas um inimigo, o inimigo de nossas almas, e é contra ele que, juntos, devemos lutar.
Que possamos ser unidos de coração e espírito; que não venhamos a lutar uns contra os outros; que mesmo em denominações diferentes, possamos sempre orar e lutar uns pelos outros, unindo nossas forças, não para lutarmos uns contra os outros mas para lutarmos contra nosso verdadeiro adversário.
Obrigada Partor Altair e irmãos da Igreja do Evangelho Quadrangular pelo amor e orações.
Obrigada irmã Efigênia pelo empenho e luta na oração.
Obrigada irmãos das Igrejas Deus é amor e Só o Senhor é Deus, pois sabemos das suas orações.
Obrigada minha sogra, Igreja da Graça, pelas orações.
Obrigada Pastor Adriano, da Igreja Batista na qual congrego, pelas orações e carinho.
Obrigada Pai, em nome de Jesus, pela vida de cada um destes preciosos irmãos.
Ana Cléa

domingo, 21 de março de 2010

Somente pelo Sangue

Durante a semana que passou, em um momento de oração, eu estava louvando ao Senhor e meditando na sua grandiosidade. Pensava em como Deus é Poderoso e Soberano e como eu sou tão pequena e pecadora e ainda assim, Ele olha para mim e me concede sua mão estendida, sua Presença, sua comunhão. Foi quando o Espírito do Senhor ministrou ao meu coração algo que eu sabia há muito tempo, algo que eu já havia aprendido há muito tempo, algo que eu já havia ensinado muitas vezes, mas que naquele momento eu pude sentir. "Eu sempre vou ser, por mim mesma, suja diante de Deus, manchada pelo pecado, impossibilitada de estar em sua santa Presença!" Isso me levou a chorar diante da minha situação, diante da situação de todo o homem, que tristeza senti pela situação da humanidade diante de Deus! O Espírito continuou "Não há nada que você possa fazer, por melhor que seja, que poderá mudar esta situação. O que faz você ter acesso a Deus, o que faz você poder entrar na sala do trono com ousadia, o que a torna filha de Deus é, somente, o Sangue de Jesus. Deus não olha você, Deus nunca olha você por você mesma, Ele olha o Sangue de Cristo em sua vida. Quando Ele olha para você não é sua justiça que Ele vê, mas o Sangue do seu Filho em você e sempre será assim."
Como é maravilhoso quando o Senhor nos leva a viver, a esperimentar em um nível de percepção mais elevado, algo que já conhecemos a respeito dEle.
Agora sei, de maneira mais perceptível a mim mesma, que só posso me achegar a Presença de Deus, seja na oração ou em qualquer outra situação, fiada no Sangue, levando o Sangue, sendo precedida pelo Sangue precioso de Jesus.
O nosso passaporte para o céu é o Sangue, a nossa entrada no céu é mediante o Sangue.
Graças a Deus pelo Sangue de Jesus, Graças a Jesus que nos presenteou com seu Sangue, graças ao Santo Espírito que nos lembra: "Somente pelo Sangue"! Obrigada Senhor por sua incomparável graça.
Ana Cléa

terça-feira, 16 de março de 2010

Em tempo oportuno

No início do mês de março, retornei com minha família à Itá. Estávamos em Curitiba, e fomos visitar o Parque Barigui, onde meu filho Daniel viu uma pipa e foi logo pedindo “papai compra uma pra mim” resisti no inicio, mas logo cedi aos apelos dele. Compramos uma pipa em forma de águia.
Fomos empiná-la, mas para nosso desespero, nada de vento. Insistimos e logo fomos recompensados por uma leve brisa, que logo tornou-se um vento de boa velocidade e conseguimos nos divertir.
Antes de retornarmos para Itá, compramos outra pipa, para levar de presente para o Rafael, meu sobrinho, então, num final de tarde resolvemos ir empinar as pipas. Por sugestão dos dois (Daniel e Rafael) fomos ao campo da escola. O vento era bom, mas como o campo era rodeado de árvores, acabou que no campo o vento era mínimo. Decidi empinar na rua próxima ao campo e a zona rural, por não possuir cabeamento elétrico. Esperei por uma leve brisa e logo empinei a pipa do Daniel, mas tinha um problema estávamos muito próximos das árvores, qualquer descuido poder-se-ia enroscar a linha num galho de árvore e teríamos uma tragédia em termos de controle e resgate da pipa.
Então, passei a o controle da pipa ao Daniel e disse: “Filho, controla a pipa e cuide para não enroscar nas árvores, enquanto o papai vai ajudar o Rafael empinar a dele”. Por um momento fui ao campo onde o Rafael insistia em empinar a pipa, sem êxito, por não haver vento. Comentei com ele: “vamos até a rua, o Daniel já está com a dele no ar”. Dirigimos-nos à rua, e ao chegar junto de meu filho, o vi com o rosto preocupado, com uma expressão de não consegui fazer o que me pediu, me olhou e disse: “papai, não consegui controlar e ela enroscou na árvore. Perdi minha pipa” em tom desolado.
Por um tempo tentei desenroscar a linha, porém, em vão. Então, parti para uma segunda estratégia, pedi emprestada a pipa do Rafael e procurei enlaçar a linha da outra, consegui, mas o vento era forte e acabou por partir a linha da pipa do Rafael, embrenhei-me mato adentro para resgatar, agora, a pipa do Rafael. Uma vez resgatada, desisti da idéia de enlaçar novamente a outra pipa, nisso, meu filho deixa escapar a linha e vê suas esperanças esvanecerem diante do fato, no entanto, a pipa fica presa no topo da árvore pelo carretel. Olhei, desanimado, porque a priori a única forma de resgate seria subir na árvore. Analisei a possibilidade, o tipo de árvore, a altura e conclui que não valia o risco o resgate. Nessa altura meu filho, já estava em casa lamentando-se para sua mãe, que segundo ela, desabafou “deu tudo errado”.
Fiquei triste por meu filho, primeiro por ele perder o brinquedo e segundo, por me sentir impotente para o resgate de seu brinquedo. Tentei consolá-lo, dizendo: “Não esquenta filho, o papai compra outra para você, assim que retornar a Curitiba”. Contudo, eu estava desolado. Fui tomar chimarrão com minha esposa e familiares e de nossa área podia enxergar a pipa a deslizar ao sabor do vento. Estava tão alta e sua forma de águia parecia desafiar-me a resgatá-la. Passado esse momento, juntou um bom número de garotos ao redor da árvore tecendo formas de resgatá-la, no entanto, a prudência recomendava não subir na árvore em questão, principalmente sem equipamento apropriado para escalar. E graças a Deus, ninguém ousou subir.
Mais tarde, comentei com minha esposa: “à noite o vento pode diminuir sua intensidade, até mesmo parar e certamente ela não terá sustentação e cairá. Dependendo do local e tempo certo, pela manhã poderei efetuar o resgate dela”. Então, pela manhã chamei meu filho, tomamos um banho “acorda preguiçoso” em seguida fui deixá-lo na escola. Não lhe contei meus planos “caso não conseguisse resgatar a pipa, não teria alimentado esperanças”. Contudo, eu estava obstinado a resgatar a pipa. Despedi meu filho para aula e fui à busca da pipa. Chegando ao local presumível que ela tivesse pousado, constatei que a mesma estava presa a uma árvore de pequeno porte, quase a altura das mãos. Fiz o resgate dela, levei para casa e deixei-a exposta na área para que meu filho pudesse vê-la ao chegar da escola e eu pudesse ver a alegria nos olhos dele ao ver sua pipa resgatada.
O episódio remeteu meus pensamentos às estratégias de Deus no resgate: de vidas, de situações adversas, de relacionamentos... Tantas vezes pensamos que pessoas, situações, relacionamentos não tem mais solução, é caso perdido. Olhamos os fatos, analisamos as possibilidades e concluímos que é impossível. No entanto, Deus nos ensina que o inatingível, por vezes, fica ao alcance das mãos. Basta esperamos o tempo oportuno.

Ivan Aralde

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Servir


Estes dias que passei em Curitiba foram preparados pelo Senhor. Pensei em ficar uma semana e fiquei quase quarenta dias!
Foi maravilhoso passar este tempo sozinha com meu marido e filhos. Passeamos bastante, participamos de muitos cultos, curtimos muito com as crianças.
Mas o que quero compartilhar é o trabalhar de Deus na minha vida. Como disse, foram dias maravilhosos, mas no início não foi fácil me adaptar a rotina e dar conta de três crianças e da casa sozinha, já que o Ivan trabalha o dia todo.
Num dos primeiros dias, a noite, eu estava um pouco irritada, pois não conseguia ter muito tempo para mim mesma, foi quando o Espírito Santo falou ao meu coração dois textos da Palavra de Deus.
- O amor não busca seus próprios interesses;
- O Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir.
Foi então que compreendi que o Senhor estava me ensinando, além da teoria e mais na prática, a servir. Deixar o egoísmo e a auto satisfação de lado simplesmente servir aqueles ao meu lado.
Não é fácil deixar a nós mesmos num canto, de lado, para nos dedicarmos aos outros. Algumas vezes a velha criatura quis ressuscitar, mas Jesus a subjugou dentro de mim e venci. O Senhor me ensinou a deixar o orgulho e a vaidade (que muitas vezes estão escondidinhos dentro de nós) de lado, e não buscar somente minha auto realização. Aprendi ser um pouco mais humilde, aprendi a descansar mais no Senhor, não me angustiando por querer fazer isso ou aquilo, aprendi a lutar pelo meu tempo com o Senhor.
Deus nos ensina em todo o tempo. Sempre oro pedindo que Ele me ensine em todas as situações, por sua graça Ele tem me ensinado. Oro para que eu possa aplicar, no meu dia a dia, o que tenho aprendido. Oro para que eu possa servir mais do que buscar ser servida.
Obrigada Senhor por estes dias em Curitiba, onde me alegrei com meu querido esposo e filhos e recebi o teu trabalhar em mim.
Amo-te, Senhor Jesus, ensina-me a cada dia.
Amo-te, Ivan, meu querido marido.
Amo vocês, filhos, família, queridos irmãos.

Ana Cléa

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Conquistados por Jesus


Apocalipse 5.9b: ...porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus os que procedem de toda tribo, língua, povo e nação.


Neste final de semana tive a oportunidade de ouvir um irmão indígena, também pastor, testemunhando do seu amor por Cristo bem como da obra que o Senhor tem realizado em sua vida e entre seu povo.
Ele falou sobre leis e decretos criados para impedir a obra do evangelho entre os povos indígenas e de como o Senhor tem prevalecido, subjugando a resistência de Satanás.
Foi maravilhoso ver o cumprimento do texto acima; foi maravilhoso constatar que o Senhor está comprando para Si homens entre todos os povos; foi maravilhoso contemplar o poder do evangelho, o poder da cruz de Cristo unindo em uma só fé, em um só corpo e em um só Espírito homens tão diferentes, rompendo barreiras, rompendo a resistência do inimigo, e estendendo a todos a sua graça.
Obrigada Senhor, por fazer parte do seu povo.
Obrigada Jesus, porque por Ti, também fui comprada.


(Acima foto do irmão Eli Catachunga Ticuna e Daniel José)


Ana Cléa

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

NÃO SÓ DE PÃO VIVERÁ O HOMEM

DEUTERONÔMIO 8.3b: ... para te dar a entender que não só de pão viverá o homem, mas de tudo o que procede da boca do Senhor viverá o homem.

Deus, através de muitas situações, levou o povo de Israel a entender que sua Palavra é mais importante para o homem do que qualquer outra coisa. Por isso Ele instrui a buscar sua Palavra e sua Presença antes das demais coisas.
O pão, ou seja, as coisas deste mundo como alimento, trabalho, status, poder, bens, nos fazem bem, mas suprem apenas nossas necessidades físicas. Na hora dos desafios, das dificuldades, das tribulações ou aflições da vida, pelas quais muitas vezes passamos, não serão de grande ajuda, pois nada podem fazer pelo nosso homem interior. Não são capazes de nos fazer permanecer de pé diante de determinadas dificuldades. As coisas deste mundo não nos serão suporte emocional, psicológico e muito menos espiritual. O homem não deve estar alicerçado ou apoiado nestas coisas, pois mais cedo ou mais tarde, ele pode, interiormente, desabar.
A Palavra de Deus nos alerta a alimentarmos não só o nosso corpo físico, a buscarmos não só as coisas deste mundo, mas a alimentarmos, principalmente, nosso espírito, a buscarmos as coisas do alto. Fazemos isto estudando a Palavra de Deus, orando, indo a igreja ouvir a Palavra de Deus e aprender com outros irmãos e, finalmente, enquadrando nossa vida na vontade de Deus. Aí estaremos alimentando nosso homem interior, aí estaremos construindo alicerces profundos e seguros para nossa vida.
Jesus Cristo é o verdadeiro alicerce. Ele é esperança, é segurança, é apoio e sustento diante das tempestades da vida. Ele é o alimento mais importante para o homem.
Pessoalmente, eu já detinha intelectualmente este conhecimento, mas diante de uma tribulação pela qual minha família passou, que foi o acidente do meu pai, o Senhor me ensinou na prática esta verdade. Esta foi a terceira lição que aprendi através daquela tribulação.
Percebi na realidade, que as coisas que eu tinha ou o que eu era, não me ajudavam a ficar de pé, não me sustentavam ou davam apoio. Somente o Senhor, a Palavra do Senhor, a esperança no Senhor e minha comunhão com o Senhor, foi o que me manteve de pé e sustentou. Deus foi o meu alicerce. Deus é o meu alicerce. Se não estivesse apoiada nEle, se não tivesse Ele em minha vida, teria desabado.
Não só de pão viverá o homem, não só das coisas deste mundo você poderá viver. Você só terá uma vida segura, você só terá apoio verdadeiro e sustendo nos momentos em que precisar, se tiver andando, lado a lado, com Jesus.

Ana Cléa

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

TRABALHE ENQUANTO É DIA

João 9.4: É necessário que façamos as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quanto ninguém pode trabalhar.

Neste texto, Jesus ensina que devemos fazer a obra de Deus enquanto é dia, ou seja, enquanto temos a oportunidade, enquanto estamos bem e podemos fazer, pois a noite vem, ou seja, dias mais difíceis vem, onde não conseguimos trabalhar.
Enquanto é dia, enquanto estamos física e emocionalmente bem, enquanto dispomos de tempo, enquanto vivemos tempos de tranquilidade e calmaria, devemos nos empenhar na obra de Deus, devemos nos empenhar em ajudar, servir e orar pelos que estão a nossa volta.
As vezes, a noite vem. São tempos em que passamos por tribulações, é onde nosso tempo fica extremamente reduzido, é não conseguimos trabalhar como gostaríamos.
Esta foi a segunda lição que aprendi com o Senhor no período em que meu pai sofreu um acidente e esteve enfermo, e toda a família viveu tempos de angústia. Naqueles momentos o Senhor me trouxe a memória este ensinamento de Jesus, e foi quando, então, eu pude realmente compreendê-lo.
Durante a noite, durante as tempestades e dificuldades da vida, muitas vezes ficamos física e emocionalmente debilitados, não conseguimos trabalhar, ficamos muitas vezes sem forças para lutar por nós mesmos e pelos outros. Nestes momentos precisamos e somos sustentados, em primeiro lugar, pelo Senhor, e depois pelo amor, pelo apoio, pelo carinho e pelas orações dos nossos irmãos.
Durante a noite não conseguimos trabalhar, não conseguimos dar, necessitamos receber.
O nosso viver tão agitado muitas vezes nos impede de enxergar esta realidade, e deixamos de fazer a obra do Pai quando podemos.
Que enquanto é dia, possamos nos dedicar ao Senhor e a sua obra com todo o nosso coração; que possamos fazer o bem, ajudar e orar pelas pessoas que estão a nossa volta, que possamos demonstrar amor e carinho. Ame aqueles que estão a sua volta, não importa se mereçam ou não; demonstre seu amor aos seus familiares, aos seus irmãos e faça o que puder para servir a todos.
Ame a Deus, ame e demonstre seu amor a seu próximo, família e irmãos, isso sempre será, em todo o tempo, refrigério ao seu coração.

O Senhor nos ensina em todo o tempo. Que possamos aprender e viver seus ensinamentos.

Ana Cléa


Lectio Divina - Método Monástico


Em post do dia 17/02/2010 discorri sobre a Lectio Divina. Quero neste falar um pouco sobre os momentos do método monástico: Ler, Meditar, Orar e Contemplar.
Momento do ler – Escolha uma passagem das escrituras, dê preferência aos evangelhos e salmos, leia, atenta com os ouvidos do coração, não busque fazer uma exegese do texto lido, mas deixe que uma palavra, sentença ou parágrafo toque o seu coração. Leia novamente, uma vez pós outra até que ela se fixe profundamente em seu coração.  
Num segundo momento, o meditar – reflita sobre a palavra colocada em teu coração, delicie-se com ela, permita que ela faça ressonância em seu coração. Cultive uma atitude de receptividade, deixe a palavra permear suavemente o momento de oração.
Num terceiro momento, o orar – responda espontaneamente, agora não se trata de fazer alguma coisa, mas acontece um movimento involuntário do coração ao Espírito que o conduz. Na oração, o coração detém o controle, talvez surja uma oração de louvor, agradecimento ou petição. Ofereça, escreva essa oração, compartilhe com outras pessoas.
Por fim o momento contemplar – esse é um momento de descanso na presença de Deus. Um momento em que nos deixamos envolver pelo Espírito e ficamos em adoração.

Ivan Aralde


quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

CONFIAR – Salmo 91

Gostaria de compartilhar com meus queridos irmãos algo que o Senhor falou ao meu coração hoje, dia 11 de fevereiro.


Durante esta noite, tive um sonho. Sonhei que estava no meio de uma floresta com um grupo de pessoas desconhecidas. Cada vez aparecia um bicho horrível para nos devorar, e assim, as pessoas iam sendo devoradas e destruídas uma a uma.

Eu corria desesperada de um lado para outro e não achava um local ou momento de onde pudesse ter paz e segurança. Apenas via as pessoas sendo devoradas e corria desesperada. Acordei do sonho deste modo.

Orei e jejuei pela manha e pedi ao Senhor livramento. Após ter lido o salmo 27 o Espírito Santo trouxe a minha mente o salmo 91 e veio uma grande vontade ao meu coração de ser este salmo. Li.

O salmo 91 e maravilhoso, não leio muito ele mas e tremendo. Lendo esta manha aprendi que devemos amar ao Senhor de coração pois Ele diz - porque a mim se apegou com amor eu o livrarei.

Mas a grande lição que o Senhor me ensinou, e creio que por isso permitiu que eu tivesse aquele sonho onde corria desesperada de monstros ferozes, é que eu tenho que fazer dEle o meu refúgio. Olhe o que diz o v. 3 - meu refúgio e esconderijo é o Senhor meu Deus, em quem confio. E o v.9 - O Senhor é o meu refúgio.

 Terminei o sonho desesperada porque não tinha onde me esconder e estar segura, o Senhor, então, falou ao meu coração que de verdade, na realidade do nosso dia a dia, Ele e o meu esconderijo onde posso me esconder e estar segura. Ele trouxe a minha memória a lembrança de quando eu era criança e estava com medo ou aprontava alguma e então corria para me esconder atrás do meu pai ou da minha mãe. Você com certeza já viu uma criança pequena quando esta com medo ou apronta alguma e então corre para se esconder atrás do pai ou da mãe, quando vemos esta cena ficamos as vezes com vontade de dar uns cascudos pois pensamos que espertinha! Mas o Senhor, me trazendo a memória esta lembrança, disse-me que é esta esperteza e sentimento que devemos ter com relação a Ele. Na vida enfrentamos as vezes situações ou monstros que nos causam medo ou nos deixam angustiados ou sem esperança e ate mesmo apavorados, nesta situação, devemos fazer do Senhor nosso real refúgio. Vejo o perigo e opa! Saio correndo para traz do meu Pai, sabendo que Ele me protegera de quem quer que seja e o meu coração terá paz.

Através deste sonho e da ministracao do Senhor ao meu coração através do salmo 91, aprendi isso, hoje. Eu já tinha este conhecimento, já havia aprendido isto, mas o aprendizado estava apenas no meu entendimento. Hoje pude sentir isso de verdade, saber que em situação de perigo, quando percebo a resistência do inimigo, posso lembrar que o meu Pai esta lá, e pela fé, correr para Ele, sabendo que Ele me esconderá e protegerá.

O Senhor tem me ensinado desta forma nos últimos dias. Outro dia o Espírito Santo falou ao meu coração através da passagem em que Jesus diz que nos deu autoridade para repreender o mau e o inimigo. Como na situação anterior, eu já havia aprendido isso, mas o Senhor abriu o meu coração e eu pude receber pela fé a autoridade que o Senhor me concedeu, e ver que se Ele me delegou esta autoridade eu a tenho e posso andar nela.

Sei que este texto é grande, mas compartilho para nos alegrarmos em saber que o Senhor nos ensina. Que estas verdades possam abençoar você também e que o Senhor possa abrir o nosso coração a cada dia, não só o nosso entendimento, para recebermos e vivermos nas suas bênçãos.


Ana Cléa C Conceição

Lectio Divina


Lectio divina

Algum tempo atrás conheci alguns irmãos da Igreja Presbiteriana que me falaram sobre a prática da Lectio Divina. Fiquei interessado, principalmente porque o nome “Lectio Divina” me chamou a atenção. Praticamos algumas vezes, porém, a forma como foi apresentada a principio parecia algo improdutivo. Então, fui à pesquisa, já que era uma prática pouco ou nada ortodoxa dentro do evangelicalismo, o fato é que é uma pratica muito corriqueira no meio monástico católico.
“A Lectio Divina é um dos grandes tesouros da tradição cristã de oração. Significa Leitura Divina, isto é, ler o livro que acreditamos ter inspiração divina. Essa tradição de oração tem origem no método hebreu de estudar as Escrituras chamado haggadah. A Haggadah consistia na interpretação interativa das Escrituras pela utilização livre do texto para explorar seu significado interior. Fazia parte da prática devocional dos judeus nos dias de Jesus.”[1]
Consiste num método de cultivar a amizade com Cristo, ou seja, uma forma de escutar os textos das escrituras como se estivéssemos conversando com Jesus, deixando ele sugerir os temas da conversa.

A Lectio Divina possui duas formas de ser executada, uma denominada Monástica e outra Escolástica.
A forma monástica da Lectio Divina é um método antigo que era praticado pelos Pais e Mães do Deserto e, posteriormente, em mosteiros do Oriente e Ocidente. A forma monástica não tem estrutura. Escuta-se a palavra de Deus em texto específico escolhido para a ocasião e depois segue-se a atração do Espírito.
A forma Monástica ela é desenvolvida em quatro momentos: Ler (Lectio) , Meditar (Meditatio), Orar (Oratio) e Contemplar (Contemplatio).
A forma Escolástica da Lectio Divina desenvolveu- se na Idade Média no início do período escolástico. Nesta época iniciou-se uma tendência de compartimentar a vida espiritual. Ao crescer esta tendência, a ênfase foi colocada mais na análise racional e menos na experiência pessoal. A forma escolástica divide o processo em estágios ou passos de feitio hierárquico. Sendo eles: 1. Ler a Palavra e ouvir com o coração; 2. Ler a passagem novamente e refletir a Palavra de Deus; 3. Ler outra vez a passagem e responder espontaneamente a Palavra de Deus; 4. Ler a passagem uma última vez e descansar na Palavra.

Após buscar a compreensão quanto ao uso do método da Lectio Divina, entendi que de fato ela nos leva uma amizade mais profunda com Jesus Cristo. Deixei de lado meus preconceitos e passei a utilizar o método. Não quero aqui fazer apologia a Lectio Divina, porque entendo que a forma de buscar a Deus é livre. Posso dizer que hoje a tenho como forma devocional de buscar intimidade com Deus.

Ivan Aralde


[1] Folder escrito por  Dom Thomas Keating, OCSO