Rádio Louvação

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

DO ÍNTIMO!



Então Pedro, aproximando-se dele, disse: Senhor, até quantas vezes pecará meu irmã contra mim, e eu lhe perdoarei? Até sete?
Jesus lhe disse: Não te digo que até sete; mas, até setenta vezes sete.
Após dar esta resposta a Pedro, Jesus conta esta parábola:
Por isso o reino dos céus pode comparar-se a um certo rei que quis cobrar as dívidas dos seus servos;
E, começando a fazer contas, foi-lhe apresentado um que lhe devia dez mil talentos;
E, não tendo ele com que pagar, o seu senhor mandou que ele, e sua mulher e seus filhos fossem vendidos, com tudo quanto tinha, para que a dívida se lhe pagasse.
Então aquele servo, prostrando-se, o reverenciava, dizendo: Senhor, sê generoso para comigo, e tudo te pagarei.
Então o senhor daquele servo, movido de íntima compaixão, soltou-o e perdoou-lhe a dívida.
Saindo, porém, aquele servo, encontrou um dos seus conservos, que lhe devia cem dinheiros, e, lançando mão dele, sufocava-o, dizendo: Paga-me o que me deves.
Então o seu companheiro, prostrando-se a seus pés, rogava-lhe, dizendo: Sê generoso para comigo, e tudo te pagarei.
Ele, porém, não quis, antes foi encerrá-lo na prisão, até que pagasse a dívida.
Vendo, pois, os seus conservos o que acontecia, contristaram-se muito, e foram declarar ao seu senhor tudo o que se passara.
Então o seu senhor, chamando-o à sua presença, disse-lhe: Servo malvado, perdoei-te toda aquela dívida, porque me suplicaste.
Não devias tu, igualmente, ter compaixão do teu companheiro, como eu também tive misericórdia de ti?
E, indignado, o seu senhor o entregou aos atormentadores, até que pagasse tudo o que devia.
Jesus termina dando a resposta final a Pedro:
Assim vos fará, também, meu Pai celestial, se do íntimo, de coração não perdoardes, cada um a seu irmão, as suas ofensas
. Mateus 18.21-35.
Jesus não coloca panos quentes, quando Ele alerta sobre o que acontecerá se não perdoarmos nosso irmão as suas ofensas, Ele está dizendo que na caminhada, de alguma forma, seremos ofendidos e devemos estar preparados para perdoar, assim como Deus fez e faz para conosco!
Ao ler isso fiquei imaginando as vezes em que vamos aos pés do Senhor chorar nossas mágoas e reclamar das ofensas que recebemos; fiquei imaginando o Senhor dizendo:” meu filho, eu já disse que estas coisas aconteceriam e já disse como você deve agir!”
Deus nos perdoou uma dívida que jamais poderíamos pagar!
Qualquer coisa que nosso próximo possa nos dever nunca será maior do que a dívida que tínhamos para com Deus e que nos foi perdoada. Portanto, se Deus nos perdoou, não teremos desculpas perante Ele se não perdoarmos nosso próximo.
O Senhor não reclama um perdão da boca para fora, apenas de aparências más sim do íntimo! Um perdão que não deixa ressentimentos ou mágoas.
Se assim não o fizermos, seremos entregues aos atormentadores.
O que são estes atormentadores?
Penso que podem ser muitas situações, até mesmo na esfera espiritual, más sinceramente não quero jamais descobrir!
Que o Senhor nos ajude, a cada dia, a lembrarmos deste alerta e, na força do Senhor, buscando capacitação nEle, do íntimo, perdoarmos nosso semelhante.
Sei que isso só é possível pela força e ajuda do Senhor.
Oremos para que a cada dia Ele nos ajude.
video

 Ana Cléa

Nenhum comentário:

Postar um comentário